Eliminando a sensibilidade dental com tratamentos eficazes.

Capa Sensibilidade

A sensibilidade dental  exagerada – ou hipersensibilidade dentinária, como nós, dentistas, a chamamos – é uma situação comum e que pode modificar as atividades simples e diárias como beber água ou escovar os dentes em um doloroso desafio, quase insuportável para alguns pacientes. A sensibilidade dental ou dentinária é tão comum que sua prevalência é de 18 a 74%, dependendo da comunidade examinada. Entenda as causas e métodos de prevenção e os tratamentos de sucesso para eliminar de vez a sensibilidade dental aumentada.

A sensibilidade dental aumentada ou sensibilidade dentinária.

A sensibilidade dental exagerada é uma dor aguda de curta duração, decorrente da exposição da dentina, uma camada interna dos dentes que, por algum motivo, passa a ter comunicação direta com o interior da cavidade bucal.  A dentina está repleta de canais contendo terminações nervosas, responsáveis pela dor. A dentina, em situações normais, não fica exposta diretamente ao meio bucal. Duas camadas externas protegem e isolam o contato direto da dentina com o meio externo : o esmalte, que reveste a coroa do dente, e o cemento, que reveste a dentina presente nas raízes dos dentes.

O esmalte é a estrura mais rígida existente no nosso organismo. Com resistência suficiente para aguentar a pressão e choque entre os dentes durante a mastigação, a ação dos ácidos e agenes químicos fortes presentes em muitos alimentos e, principalmente, resistir ao desgaste decorrente da escovação realizada com excesso de força, reveste a parte do dente que não está submersa na gengiva. Já o cemento, que reveste e protege somente a dentina presente na raiz, é fino e pouco espesso, e desgasta-se facilmente com a ação mais pesada das cerdas das escovas durante a escovação.

A hipersensibilidade dentinária é causada, na verdade, por uma combinação de fatores, já que para que ocorra a exposição da dentina presente nas raízes é preciso que ocorra, antes, a exposição da própria raiz ao meio bucal. Essa exposição da raiz dentária é decorrente da retração gengival que, por sua vez, também pode ter causas variadas.

Não é preciso que exista o desgaste do camada que isola e protege a dentina presente nas raízes. Essa camada é tão fina que a sensibilidade dentinária pode ocorrer sem que nenhum desgaste tenha ocorrido, sendo incapaz, em alguns pacientes,  de impedir a sensibilidade dental ao frio durante a ingestão de águas ou alimentos refrigerados. Entretanto, a maioria dos pacientes apresenta algum tipo de desgaste dessa camada, expondo diretamente a dentina à ação das cerdas das escovas ou outros estímulos externos que provocam muitas dores.

As múltiplas causas da sensibilidade dental.

A exposição da dentina que recobre as raízes dos dentes é a responsável pela maioria dos casos de sensibilidade dental exagerada. Pode até acontecer da sensibilidade dental exagerada ser provocada pela exposição da dentina abaixo do esmalte dentário, como acontece com o paciente que consume em excesso alimentos cítricos ou com ph muito baixo, ou então das falhas do esmalte presentes nas fluoroses ou doenças congênitas raras. Porém, o mais comum é a sensibilidade dental exagerada decorrente da exposição da dentina presente nas raízes.

É importante entender que nós não nascemos com as raízes dentárias expostas à cavidade bucal, condição prévia para o aparecimento da sensibilidade dentinária. Com o passar do tempo é normal e provável que alguma pequena retração gengival ocorra e exponha a raiz de um ou mais dentes. Entretanto, as doenças periodontais e o uso de escovação com pressão exagerada sobre os dentes podem provocar grandes retrações ósseas e gengivais que expõem partes das raízes dentárias que não deveriam estar expostas, em condições normais.

As principais formas de exposição da dentina são:

1. Higiene oral baixa ou inapropriada : 

Pacientes com baixa ou inapropriada higiene oral estão associados a alto grau de destruição periodontal, com retração gengival associada. É essa a retração que dá origem à sensibilidade dental exagerada.

2. Terapia periodontal:

Os procedimentos odontológicos de raspagem e remoção de placa e cálculo dentário, o tártaro, muitas vezes podem também remover uma parte da camada que protege a dentina da raiz, o cemento. Mas não se preocupe com isso, porque é normal que ocorra a remoção de uma parte dessa frágil camada protetora da dentina durante esses procedimentos. É melhor que apareça algum tipo de sensibilidade dental após esse procedimentos do que não remover a placa e o tártaro. Além disso, tratar a sensibilidade dentinária é mais fácil do que repor um dente que pode ser perdido pela higiene oral deficiente.

3. Exposição a ácidos :

A dieta contém produtos químicos, medicamentos ou ácidos produzidos em nossa própria cavidade bucal durante a digestão que podem dissolver as camadas que protegem a dentina, e até mesmo a própria dentina. É importante saber que estes ácidos provocam erosão até mesmo no esmalte dentário, com um significante aumento do risco de aparecimento de lesões cariosas nessas superfícies.

Além disso, a ação da escovação pesada imediatamente após a exposição dos dentes a esses ácidos aceleram ainda mais o processo de exposição e desgaste da dentina, pois a ação dos ácidos provocam um enfraquecimento supercial que facilita a remoção dessas camadas pela ação das cerdas das escovas.

4. Excesso de força durante a escovação:

O excesso de força durante a escovação, principalmente quando as cerdas das escovas são rígidas, podem provocar retrações gengivais, ocorrência importante para o aparecimento da sensibilidade dos dentes. Além disso, quando essas cerdas entram em contato com a camada que protege a dentina e a própria dentina, aparecem desgastes de superfícies que vão desde leves abaulamentos a até profundas cavidades no local.

Em alguns casos, o desgaste da dentina é tão pronunciado que é necessário o tratamento endodôntico – de canal – como solução definitiva. E não é uma situação rara. Outro problema decorrente dessas cavidades formadas nas raízes pelo excesso de força da cerdas da escova contra os dentes é a facilidade para o acúmulo de placa bacateriana responsáveis pelo aparecimento de cáries e doenças gengivais e periodontais.

A escolha da escova de dentes é fundamental. Além disso, a técnica utilizada pelo paciente para a higienização é muito importante, já que cada paciente tem a sua própria técnica e necessidades de higiene diferentes. Esse é um assunto importante. Após a leitura desse post, recomendo a leitura de um artigo com informações mais detalhes sobre escovas de dentes e higiene oral – um link no final da página irá redirecioná-lo para a sua leitura.

5. Contato de mastigação com força excessiva ou contatos inadequados:

Um fenômeno interessante pode ainda acontecer com a estrutura do dente e ocasionar o aparecimento de sensibilidade dental aumentada. É a abfração, que é quando uma parte da superfície dentária descola-se da estrutura dental pela força comprensiva em excesso decorrente do choque entre dois ou mais dentes. Ela pode acontecer pela própria força de mastigação do paciente ou quando, por algum motivo, a carga de mastigação entre as arcadas não é corretamente distribuída, ou seja, alguns dentes recebem mais carga durante a mastigação ou apertamento dos dentes do que outros dentes. Essa sobrecarga sobre um dente pode ocasionar a abfração e dar início a algum tipo de sensibilidade dental.

Os tratamentos mais eficazes da sensibilidade dental.

A sensibilidade dentinária pode ser resolvida por dois métodos diferentes de ação. Um método se propõe a obliterar e bloquear a dentina exposta e é tratada através de dentifrícios, flúor, dessensibilizantes, adesivos dentinários ou cirurgias gengivais para recobrimento da área exposta. Outro método se propõe a atuar diretamente nas fibras nervosas responsáveis pela sensibilidade dental aumentada, promovendo modificações anatômicas e fisiológicas. Essa atuação direta sobre as fibras nervosas é feita pelo uso de lasers terapêutico de uso odontológico ou através do tratamento endodôntico ( tratamento de canal ).

O importante com relação às técnicas que eliminam ou diminuem a sensibilidade dental exagerada é que todos são efetivos, em diferentes graus e tempos.

1. Uso de dentifrícios ( “pasta de dente”)

O uso de dentifrícios  é amplamente indicado pelos dentistas, principalmente por ser de fácil aplicação e ter baixo custo ao paciente. Os principais dentifrícios disponíveis no mercado são o acetato de estrôncio e a argina. Estudos científicos demonstraram que ambas possuem efeitos semelhantes. O tempo máximo de duração dos efeitos são 4 semanas e , dependendo do grau da sensibilidade dental, o efeito pode ser imediato ou necessitar de algumas aplicações para conseguir efeito – muitas vezes, são necessárias semanas.

O efeito máximo duradouro dessas substâncias são 4 semanas, porém o início do efeito pode ser imediato para algumas das marcas disponíveis.

2. Flúor

O flúor é uma substância amplamente utilizada e popularizada para a prevenção de cáries dentárias, e até mesmo na reversão de lesões cariosas em estágio inicial. Uma de suas propriedades é obliterar a dentina, impedindo o contato das fibras nervosas presentes com os estímulos químicos ou mecânicos que podem provocar a dor característica da hipersensibilidade dentinária. Esta técnica de combate à sensibilidade dos dentes ainda é a mais utilizada nos consultórios. São necessárias entre 3 a 5 aplicações para um resultado efetivo.

3. Dessensibilizantes

Os dessensibilizantes são substâncias químicas desenvolvidas especificamente pela indústria de materiais odontológicos para o combate da sensibilidade dos dentes. São mais efetivos e de efeito mais rápido comparados ao fluor e aos dentifrícios. Gluma Dezensibility é uma boa opção e de efeito praticamente instantâneo, requerendo apenas uma única aplicação para a maioria dos casos.

4. Adesivos dentinários

Embora os adesivos dentinários, utilizados na colagem das restaurações dentárias com resinas, já estejam no mercado odontológico há mais de duas décadas, somente há pouco tempo foi descoberta a sua propriedade de obliter os canais contendo fibras nervosas na dentina. É rápido e efetivo, e relativamente durodouro.

O uso de adesivos dentinários parece ser, hoje, a técnica de escolha para as mais diversas causas da sensibilidade dentinária.

5. Cirurgia gengival

A cirurgia gengival ou mucogengival para recobrimento das raízes com retração gengival é uma opção interessante no bloqueio da dor nos dentes com sensibilidade dentinária. Existem várias técnicas para o recobrimento das raízes com dentina exposta, e a escolha da técnica apropriada é importante porque os procedimentos que envolvem o reposicionamento da margem gengival ou o enxerto gengival coletado de outra área são passíveis de falhas e reincidência do problema, passados alguns anos. O princípio da técnica é simples: recobrir a dentina exposta.

A cirurgia gengival para eliminar a sensibilidade dentária é a técnica mais eficiente para os casos de sensibilidade dental a escovação ( devido ao trauma direto ).

6. Restaurações.

As restaurações com resinas são eficientes porque criam uma barreira física e térmica que isola a dentina exposta. São indicadas para as situações aonde formaram-se cavidades pela ação exagerada da escovação ou para as cavidades formadas sobre o esmalte dentária que podem decorrer por fraturas, problemas genéticos ou ação de ácidos.

7. Laser terapêutico

O laser terapêutico de baixa intensidade promove a analgesia das fibras nervosas responsáveis pela hipersensibilidade dentinária, e também possui efeito anti-inflamório. O efeito é imediato e eficiente para os casos de sensibilidade dental mais simples, como o desconforto ao ingerir água ou alimentos gelados.

8. Tratamento endodôntico ( canal ) 

O tratamento endodôntico é utilizado nos casos aonde as retrações e abrasões decorrentes da força excessiva durante a mastigação são muito grandes e provocaram retrações gengivais extensas e cavidades profundas. É o último recurso a ser utilizado quando todos os outros são contra-indicados.

A prevenção da sensibilidade dental.

A sensibilidade dental pode aparecer em diversas etapas da nossa vida, com diferentes causas e diferentes graus. Em algumas situações a sensibilidade dos dentes durante a ingestão de alimentos refrigerados é uma ocorrência normal. Podemos, até mesmo, passar por períodos em que estaremos, momentaneamente, mais sensíveis. Em outras situações a sensibilidade dentinária é decorrente de situações não normais ( fisiológicas ), e nesses casos a intervenção sobre o problema pode ser necessária.

A higienização oral eficiente e frequente e o domínio da técnica de escovação sem pressão excessiva das cerdas das escovas contra os dentes são os dois pilares na prevenção da sensibilidade dental.

Gostaria de compartilhar em sua rede social?

É só clicar no ícone ao lado para compartilhar

Site criado pela Eriansoft - Todos os direitos reservados.