9 mitos sobre implantes dentários que você precisa conhecer

Implante Dentário 2

O tratamento odontológico com implantes dentários ósseo-integrados já é um procedimento tão comum quanto os tratamentos endodônticos ou restauradores. Entretanto, as informações sobre os tratamentos com implantes disponíveis na internet podem levar – e tem levado ! – pacientes a desenvolverem ideias irreais e, como não dizer, folclóricas sobre implantodontia. Neste post, uma lista com nove informações sobre implantes dentários são apresentadas e discutidas para que você descubra que muitos pontos populares sobre o tema não passam de mito.

 

1. O organismo pode rejeitar o implante dentário.

MITO. O titânio é um material inerte que é 100% compatível com o organismo humano. Quando há algum tipo de falha na fixação do implante junto ao osso, ela decorre de outros motivos. Implantes dentários inseridos em áreas com inflamações ósseas, estabilização precária do implante no osso durante a instalação, má qualidade do material instalado, geração excessiva de calor ou outras falhas durante a cirurgia são exemplos de causas para falhas de osseointegração frequentemente mascaradas pela ideia falsa de rejeição do organismo aos implantes dentários ósseo-integrados.

Mas isso não significa que implantes dentários são infalíveis quando todos os procedimentos e protocolos cirúrgicos são respeitados. Aproximadamente 8% dos implantes dentários – mesmo para os implantes comercializados por marcas consagradas pela excelência,- não fixam (osseointegram) ao osso dos maxilares e precisam ser removidos. Mas não se preocupe: quando a osseointegração não acontece de forma satisfatória, novos implantes podem ser colocados exatamente no mesmo local da falha, e sem que diminuam as chance de que o novo implante apresente os mesmo problemas.

 

2. O implante dentário é uma técnica obsoleta porque implantes de células-tronco são mais eficientes e atuais.

MITO. A terapia para a geração induzida de dentes naturais com células-tronco nunca foi testada em seres humanos – na verdade, essa tecnologia ainda não está disponível. Não espere para os próximos 30 anos uma tecnologia tão avançada com células-tronco que possa, por ora, substituir os implantes dentários nos tratamentos para reabilitar pacientes com ausências dentárias.

 

3. Já sairei com as próteses dentárias instaladas no mesmo dia da cirurgia para instalação dos implantes. 

DEPENDE. Algumas situações raras apresentam bom prognóstico para que próteses dentárias sejam instaladas sobre implantes ósseo-integrados já no mesmo dia da cirurgia de instalação. Porém, para a ampla maioria dos tratamentos com implantes dentários, a instalação imediata de próteses dentárias sobre implantes recém-implantados diminui substancialmente as chances de sucesso do tratamento. Se antes essas chances eram de 92% de sucesso, a instalação imediata de próteses dentárias sobre implantes – e que os dentistas chamam de carga imediata – diminuem sensivelmente esses números.

Algumas pesquisas relatam até que essas taxas de sucesso possam cair para até 52%. Além disso, é preciso saber que nesses tratamentos as próteses dentárias instaladas são provisórias – as definitivas devem aguardar de 45 a 180 dias, dependendo do material e do osso disponível.

Dental implant

4. O consumo de nicotina e a diabetes contra-indicam os tratamentos com implantes dentários.

MITOPacientes com a glicose controlada têm bom prognóstico para a instalação dos implantes dentários. O mesmo não pode ser dito dos pacientes fumantes: um período de abstinência por pelo menos 15 dias anteriores ao dia da cirurgia e 3 semanas posteriores à mesma são mais do que necessárias para melhorar o prognóstico de implantes ósseo-integrados instalados em pacientes fumantes.

5. A cirurgia para instalação dos implantes é muito dolorida.

MITO. O paciente faz a cirurgia anestesiado e não sente absolutamente nada durante o trans-operatório. Assim como em qualquer procedimento odontológico podem ocorrer episódios isolados de dor, normalmente de baixa intensidade. Os pacientes relatam a cirurgia e o pós-cirúrgico de instalação dos implantes como mais fáceis do que uma cirurgia simples de remoção de um dente incluso na arcada, como um siso.

6. Implantes dentários importantes são melhores do que os nacionais.

ATÉ PODE SER. Porém, a diferença tecnológica entre implantes nacionais e importados diminui consideravelmente nos últimos anos. Um número reduzido de fabricantes internacionais realmente produzem implantes dentários tecnologicamente superiores aos implantes nacionais. A escolha entre um implante nacional ou importado deve ser discutido com o paciente quanto a essas diferenças.

Estudos científicos têm demonstrado que algumas marcas de implantes dentários importados necessitam de menor período de cicatrização após a cirurgia de instalação, comparados aos implantes nacionais. Essa questão deve ser discutida com o paciente porque, em muitos situações, a velocidade de osseointegração é importante para o conforto e sucesso do tratamento.

Além disso, algumas pesquisas internacionais relatam que pacientes jovens têm ganhos estéticos substanciais quando implantes importados de rápida ósseo-integração são utilizados no tratamento – principalmente em dentes anteriores.

7. Pacientes idosos estão contra-indicados para tratamentos com implantes dentários.

MITO. Pacientes idosos não tem limitação de idade para a instalação dos implantes dentários, sendo, ao contrário, o grande grupo beneficiado pela técnica. É bastante comum encontrar, hoje em dia, pacientes acima dos 80 anos instalando desde implantes para corrigir a ausência de apenas um dente até a instalação completa de dentaduras com próteses estáveis e naturais fixadas sobre implantes.

Aumentar a qualidade de vida do paciente idoso é cada vez mais importante devido ao aumento na longevidade e capacidade produtiva desses pacientes. Não há época desfavorável – desde que o paciente apresente boas condições de saúde – para os tratamentos dentários com próteses sobre implantes dentários.

8. Implantes naturais não têm a mesma estética e naturalidade encontrada nos dentes naturais.

MITO. Existem diversos modelos de implantes e técnicas de enxertos ósseos para devolver naturalidade e função para a grande maioria dos tratamentos com implantes dentários, principalmente os casos envolvendo implantes dentários que substituem apenas um ou dois dentes perdidos. Outros fatores como a remoção inadequada ou o tempo de espera prolongado desde a remoção do dente até a instalação do implante são mais relevantes ao sucesso estético com próteses dentárias sobre implantes do que o desenho do implante dentário.

9. Posso instalar um implantes dentário a qualquer momento após as perdas dentárias.

MITO. O melhor momento para instalar um implante dentário é imediatamente após a remoção do dente condenado. Quanto mais tempo decorre do momento de remoção do dente perdido e a instalação do implante, maior é a necessidade de técnicas adjuntas de enxerto ósseo para repor o osso reabsorvido no processo normal de cicatrização que ocorre após a remoção do dente. Quanto mais tempo o paciente espera para colocar o implante após o remoção do dente perdido, maior a necessidade de enxertia óssea.

Alguns casos tem perda óssea tão pronunciada – principalmente as áreas ósseas cujos dentes foram perdidos há muitos anos – que as técnicas de implantodontia podem não apresentar um prognóstico favorável ao resultado de fixação desse implante ao osso.

Alguns estudos mais recentes têm apresentado soluções estéticas favoráveis quando o implante dentário é instalado 20 a 30 dias após a remoção da raiz dentária, aproveitando-se de momento de cicatrização óssea que, segundos esses estudos, seriam ideais para tratamentos desse tipo.

10.  (Extra) Existem técnicas cirúrgicas que instalam implantes sem cortes ou pontos na gengiva.

MITO. Existem técnicas cirúrgicas auxiliadas por tomografias e modelos protótipos que minimizam o tamanho dos cortes necessários para a instalação de um ou mais implantes. Algumas técnicas até conseguem dispensar o uso de suturas ( pontos ), já que o tamanho do corte é exatamente o tamanho do implante a ser instalado. Porém, em qualquer técnica, é necessário algum tipo de corte da gengiva para a instalação de um implante.

Algumas situações em que o dente foi removido muitos meses ou anos ao dia da instalação dos implantes permitem a instalação dos implantes dentários sem a necessidade de sutura (pontos). Essa técnica, entretanto, é muito dependente da habilidade e experiência do profissional com cirurgias em implantodontia.

Implantes dentários na visão do profissional : tendências e novas tecnologias que não são mitos.

Os mitos e informações desencontradas sobre tratamentos odontológicos podem prejudicar os indivíduos que se orientam por informações falsas ou descontextualizadas. Problema também à medicina, é comum encontrar pacientes que realizam diversas consultas com profissionais até que encontrem um cuja opinião científica seja próxima à concepção desse paciente sobre o problema.

Entretanto, muitas novas tecnologias para implantes dentários trazem possibilidades de tratamento que, ditas tempos atrás, poderiam passar como mito. Os implantes dentários confeccionados com cerâmica, por exemplo, são exemplos de novas tecnologias, já que a sua cor próxima ao branco absoluto resolve os problemas de acinzentamento em gengivas finas.

Os enxertos ósseos com osso obtido a partir de bois ou vacas é outra tecnologia interessante próxima do absurdo. Nela, ao invés das dolorosas retiradas de pedaços ósseos coletados do próximo paciente, osso bovino especialmente tratado oferece resultados muito próximos aos obtidos com os enxertos com osso do próprio paciente (autógeno). Se você escutar por aí que os dentistas estão colocando osso de boi em seus paciente, pode acreditar: é exatamente isso aí.

Gostaria de compartilhar em sua rede social?

É só clicar no ícone ao lado para compartilhar

Site criado pela Eriansoft - Todos os direitos reservados.